As Colunas do Templo

By SS Martinelli - sábado, abril 09, 2016

Aquelas que dançam pelo sagrado feminino, sabem que não existe uma, mais sim diversas formas de estudar e posicionar o olhar sobre os movimentos. Há algum tempo venho testando e comprovando algo que em minhas recentes pesquisas descobrir, o estudo dos movimentos baseados na arquitetura dos antigos templos. Parece loucura, eu sei, mas bora ver do que se trata?

Técnica para estudo: Colunas do Templo

A primeira coisa que temos que ter em mente é que todo movimento é um movimento arquitetônico, ou seja, a construção de cada passo precisa não só dos materiais certos ( no nosso caso, estudos, pesquisas e treinamentos), como uma boa base!    

Agora vamos a técnica.

Baseado nas ordens arquitetônicas da antiga Grécia, existem três tipos de estudos e treinamentos para as domadoras do Ventre, a ordem dórica, a ordem Jônica e a Coríntio. Observe a imagem abaixo, para as mais atentas, só ela, já faz todo o sentido ;)


Do que se trata cada ordem:

A ordem dórica foi a primeira e a mais simples das ordens arquitetônicas, sendo uma versão em pedra das peças de madeira. O estilo dórico vem em primeiro lugar por uma razão muito simples: o dórico foi um dos primeiros povos que dominaram a Grécia. Nessa ordem, a parte principal da coluna, ou fuste, repousa diretamente sobre o embasamento; o acabamento no alto da coluna, ou capitel, é extremamente simples; a parte que assenta sobre os capitéis, ou arquitrave, é larga, maciça, sem rebuscamentos.

Na ordem Jônica as proporções são mais elegantes, ou seja, é mais esbelto em suas relações entre largura e altura. Essas proporções ocorrem desde a métrica das colunas e irão influenciar as dimensões finais da construção.  Por isso seu aspecto mais delicado e de caráter feminino, principalmente se comparado ao templo dórico que possui proporções mais pesadas.

A ordem coríntia apareceu no século IV a.C. e se caracterizou sobretudo pela forma do capitel. Há uma lenda que explica a origem desse estilo. Diz a lenda que certa vez, uma bela jovem coríntia fora enterrada em campo aberto; sua ama colocara sobre o túmulo um cesto coberto de telhas, contendo objetos que a jovem mais queria. Na primavera seguinte, brotaram no lugar alguns pés de acanto. encontrando os obstáculos das telhas, as folhas dobraram-se, formando volutas incompletas. Inspirado nesse motivo - continua a lenda -, um arquiteto grego chamado Calímaco teria criado a nova ordem. Na verdade, porém, o estilo coríntio parece ter sido importado do Egito, onde já existiam templos cujos capitéis eram decorados com motivos florais. Fonte

A Prática

Ordem Dórica - Treino de movimentos "rústicos" de quadril, como shimmies, twister, encaixes, batidas, básicos etc. Tenha em mente o ritmo do Derback. ( Vivência -  Maia, Ártemis, Atena)

Ordem Jônica -  Treino de movimentos fluídos, como ondulações, braços, trabalho com véu, leveza, sutileza nas junções, delicadeza das mãos e expressões. Tenha em mente o ritmo lento. ( Vivência - Afrodite, Graças, Persefone)

Ordem Coríntia - Treino de movimentos complexos, junções, equilibrar rústico com delicadeza, florear detalhes; Enriquecer a dança com sequencias elaboradas e vívidas. Tenha em mente músicas clássicas. ( Vivência - Deméter,  Hera, Hécate)

Aí você pensa e no que isso ajuda? A dança é técnica, mas só ela não faz a dança, a verdade é que sem tocar a alma, todo movimento é perda de tempo ;)

 Sempre aberta para dúvidas e sugestões <3
 

  • Share:

You Might Also Like

0 Ebulições