Procura-se Criatividade

By SS Martinelli - domingo, outubro 17, 2010

"Todos nós nascemos originais e morremos cópias." - Carl J. Jung

Carl J. Jung era mesmo um sábio em analisar seres humano, quer frase mais verdadeira que esta? Estamos vivendo a era das cópias, copiamos, músicas da internet, roupas de bailarinas, movimentos de outras dançarinas... queremos mesmo é ser igual a aquela fulana de tal que está na moda, dançar copiando até os trejeitos e manias!

Que tipo de arte é Essa? Cadê a calma que faz alma? Cadê a alma que faz a dança? Cadê a dança que faz a diferença?

Amigas, sou a favor de observar e admirar diferentes danças e de até copiar (mais a minha maneira)certos movimentos, mas nunca deixar de lado a minha alma, a minha originalidade!



Sei que é dificil ser original e criativa,  mas não é impossível, como tudo na vida , é uma  questão de empenho e dedicação. Se nascemos originais, temos tudo o que é preciso para desenvolver esse potencial!


Este é meu estudo para desenvolvimento da criatividade:


Existem várias definições diferentes para criatividade. Para Ghiselin (1952), "é o processo de mudança, de desenvolvimento, de evolução na organização da vida subjetiva". Segundo Flieger (1978), "manipulamos símbolos ou objetos externos para produzir um evento incomum para nós ou para nosso meio". Outras definições:

  • "o termo pensamento criativo tem duas características fundamentais, a saber: é autônomo e é dirigido para a produção de uma nova forma" (Suchman, 1981) 
  • "criatividade é o processo que resulta em um produto novo, que é aceito como útil, e/ou satisfatório por um número significativo de pessoas em algum ponto no tempo" (Stein, 1974) 
  • "criatividade representa a emergência de algo único e original" (Anderson, 1965) 
  • "criatividade é o processo de tornar-se sensível a problemas, deficiências, lacunas no conhecimento, desarmonia; identificar a dificuldade, buscar soluções, formulando hipóteses a respeito das deficiências; testar e retestar estas hipóteses; e, finalmente, comunicar os resultados" (Torrance, 1965) 
  • "um produto ou resposta serão julgados como criativos na extensão em que a) são novos e apropriados, úteis ou de valor para uma tarefa e b) a tarefa é heurística e não algorística" (Amabile, 1983)
Todo ser humano possui criatividade em diferentes habilidades. Acredita-se que a habilidade criativa das pessoas estejam de certa forma ligadas a seus talentos.


Tipos - Pode-se classificá-la segundo o lugar de origem e a forma como se manifesta. Um exemplo de classificação por lugar de origem é a seguinte: 

  • Criatividade individual: é a forma criativa expressa por um indivíduo
  • Criatividade coletiva ou de grupo: é a forma criativa expressa por uma organização, equipe ou grupo. Ela surge geralmente da interação de um grupo com o seu exterior ou de interações dentro do próprio grupo. 
    O Potencial criativo do ser humano tenha início na infância. Quando as crianças têm suas iniciativas criativas elogiadas e incentivadas pelos pais, tendem a ser adultos ousados, propensos a agir de forma inovadora. O inverso também parece ser verdadeiro. 
     
    Quando as pessoas sabem que suas ações serão valorizadas, parecem tender a criar mais. O medo do novo, o apego aos paradigmas são formas de consolidar o status quo. Quando sentem que não estão sob ameaça (de perder o emprego ou de cair no ridículo, por exemplo), as pessoas perdem o medo de inovar e revelam suas habilidades criativas. 
     
    Algumas pessoas acreditam que ver a criatividade como habilidade passível de desenvolvimento é um grande passo para o desenvolvimento humano, enquanto outras têm a visão de que a criatividade é uma habilidade inata, ligada a fatores genético/hereditários e, portanto, determinista. Certas pessoas também admitem que a criatividade não tem necessariamente ligação com o quociente de inteligência (QI), que ela tem mais afinidade com motivação do que com inteligência. 
     
    Outras pessoas, por outro lado, confirmam uma forte correlação entre QI e potencial criativo, especialmente para QIs abaixo de 120 e com uma correlação positiva leve acima de QI 120. 
    Processo criativo - Durante o processo criativo, frequentemente distinguem-se os seguintes estágios:
  • Percepção do problema. É o primeiro passo no processo criativo e envolve o "sentir" do problema ou desafio.
  • Teorização do problema. Depois da observação do problema, o próximo passo é convertê-lo em um modelo teórico ou mental. 
  • Considerar/ver a solução. Este passo caracteriza-se geralmente pelo súbito insight da solução; é o impacto do tipo "eureka!". Muitos destes momentos surgem após o estudo exaustivo do problema. 
  • Produzir a solução. A última fase é converter a ideia mental em ideia prática. É considerada a parte mais difícil, no estilo "1% de inspiração e 99% de transpiração". 



     Forma expressão:
  • Arte e cultura. O mundo da arte e da cultura é proeminentemente um mundo da criatividade, porque o artista não está diretamente ligado às convenções, dogmas e instituições da sociedade. O artista tem uma expressão criativa que é resultado direto de sua liberdade.
  • Pesquisa e desenvolvimento. Para produtos resultantes de atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, o critério criativo é a patente deste produto. São geralmente três os pré-requisitos de uma patente: a) novidade; b) inventividade e c) aplicação prática. 
  • Humor (comédia)

Medição - Foram propostas várias tentativas de desenvolver um quociente de criatividade de uma forma análoga ao quociente de inteligência. Porém, a maior parte dos critérios de medição da criatividade depende do julgamento pessoal do examinador e por isso é difícil estabelecer um padrão de medição.  
 

Na Dança do ventre:

Temos 3 maneiras de sermos criativas: a 1° treinar o mesmo passo várias vezes e a partir daí "bolar" algo novo; 2° misturar outros estilos de dança ( indiana, jazz, cigana, celta...) e a 3° e ultima é dançar sem " preconceito, simplesmente colocar uma música e deixar o corpo fluir sem se preocupar com os movimentos , passo e etc..
 
*Há duas causas fundamentais que obstruem a criatividade, a timidez e autocrítica em excesso.  
 
Conheça seu assunto: criatividade requer conhecimento, mas não exagere, pois a super especialização reduz sua visão. Imagine o impossível: muitas ideias inovadoras parecem loucas à primeira vista, mas você deve ter a habilidade de impor sua ideia, pois as ideias malucas se mantêm malucas se elas não conseguem sobreviver a uma avaliação crítica. Finalmente, seja persistente: grandes problemas raramente são solucionados na primeira tentativa, ou na segunda, ou na terceira. Mas lembre-se de fazer uma pausa: você pode estar na trilha errada, deixe incubar um pouco para obter um novo começo. Dean Simonton, professor de psicologia, University of Califórnia.


 

  • Share:

You Might Also Like

0 Ebulições