Header Ads

Seo Services

Relembrando post antigo

Em março de 2009 no antigo blog escrevi esse artigo sobre a dança do punhal que vale a pena relembrar:
Dança do punhal, uma dança esquecida
créditos da foto
Em algum lugar li que: o punhal surgiu nos bordéis da Turquia, quando as europeias eram escravizadas e levadas aos bordéis (1600-1700). Época em que os Mouros raptavam as mulheres a mando do Sultão da Turquia. O punhal era um instrumento de defesa e de comunicação entre a bailarina e a plateia.

Na cultura cigana, o punhal é a imagem da luta e vontade de vencer. Representa honra vitória e êxitos. Os Ciganos também usavam o punhal para abrir matas, sendo então, símbolo de superação e pioneirismo.

Hoje em dia, a dança do punhal está "esquecida", é raro ver uma grande bailarina executando este estilo. O que tem por aí são representações pequenas e algumas, em minha opinião, sem conteúdo nenhum. Vejo coreografias com movimentos de combate, com músicas que não combinam com a filosofia do instrumento.

O punhal nunca foi usado em combates, ele era usado para se defender ou mesmo para planejar assassinatos contra os malfeitores. Sua dança representa mistério e a bailarina tinha que mostrar poder, afinal ela carregava uma arma que simbolizada a morte, liberdade, sexo e a transformação. O punhal não é o bastão, este sim era usado em lutas e combates.

Por que está dança está esquecida? Por que menosprezamos sua história?

Sei que dançar com a espada chama muito mais atenção, porém sua história, sua utilização, não é tão cheia de segredos, de complôs, de magia, de sedução como a do punhal.

Essa dança merece reconhecimento, pois ela honra uma época em que as mulheres eram reprimidas, escravizadas e ridicularizadas e tiveram a coragem de se defender.

Nenhum comentário